Americanas.Com , Nunca Mais!

O “velhinho” aqui faz compras pela Internet há mais de 10 anos. Minha primeira compra online foi na books.com, hoje Barnes & Noble. Lembro que, daqui do Brasil, comprei um livro nos USA e mandei entregar, embrulhado para presente, para uma amiga na Holanda. Ela recebeu o livro em menos de uma semana. Depois disso já comprei computador, geladeira, fogão, aparelhos de TV, alguns CD, vídeos VHS, softwares, serviços bancários, adesão a cartões de crédito, serviços de hospedagem na Internet e, claro, livros, muitos livros. Alguns produtos e serviços foram comprados no Brasil, muitos em outros países, e nunca tive nenhum problema, em mais de 10 anos! Nem mesmo na falecida Ultralar (que a vara de falências a tenha!). Até que comprei um “TV set”  Philips, na Americanas.com onde, por sinal, já comprei outros eletrodomésticos, sempre entregues no prazo prometido, e em perfeitas condições. Mas não é que o tal “TV set” já chegou com defeito? O aparelho liga sozinho, minutos depois de ter sido desligado pelo controle remoto! E não é defeito do controle remoto, pois a anormalidade ocorre mesmo que o “remote control” esteja sem pilhas ou fora da sala, fora do alcance da TV. Reclamei com o “atendimento ao consumidor”, da Americanas.com, e sabem qual foi a resposta? Aí vai: “Esclarecemos que a Americanas.com, recebe os produtos lacrados do fornecedor e os envia da mesma forma para o cliente, não temos acesso às características ou funcionabilidades.
Mantemos um contrato com o fornecedor, que em caso de quaisquer divergências, defeitos ou avarias o cliente deve se reportar ao mesmo.”

Ou seja, traduzindo: “Te vira, que não temos nada com isso! Vá procurar o fabricante!”

Respondi para eles, dizendo que um “contrato” entre “Americanas.com” e “Fabricante” não pode criar obrigações para uma terceira parte, no caso, eu, o consumidor!

Imagine-se comprando uma garrafa de vinho na delicatessen da esquina e, ao abrir em casa, descobrir que o vinho está estragado, virou vinagre! Aí voce vai até a lojinha da esquina e o dono diz o seguinte: “Comprei essa garrafa de vinho lacrada e arrolhada. Não posso me responsabilizar pelo seu conteúdo. Vá até à Argentina reclamar com o fabricante, que eu tenho um contrato com ele, em caso de quaisquer divergências, defeitos ou avarias o cliente deve se reportar ao mesmo!”

Não é desejavel mas é aceitável que um produto apresente defeito, depois de um certo tempo de uso. Para isso existem as garantias. Mas um produto recebido já com defeito, deveria ser trocado pelo vendedor, imediatamente. Se as compras pela Internet são resolvidas online, por que os problemas originados por essas compras tem que ser resolvidos “à pé”?

Grandes empresas apostam na fraqueza do consumidor diante de seus batalhões de advogados. Apostam também em nossa inércia, pois eles ganham para isso, enquanto nós temos que gastar, dinheiro e tempo, para ter os nossos direitos respeitados.

Ainda não sei o que vou fazer. Só sei que Americanas.Com , Nunca Mais!

Para concluir: se voce não gostou de “TV set” e outras coisas em idiomas que não o português, saiba que isso também me irrita, tanto quanto “customizar”, “encriptar”, “delivery” e outras bobagens. Mas estamos falando de “Americanas”, não é mesmo? Então “relax”!

==============

EM 26/05/2011, PUBLICADO NO PORTAL G1,COM.BR:

Do G1, em São Paulo

A Justiça do Rio de Janeiro determinou que a Americanas.com não realize novas vendas no estado enquanto as entregas não forem regularizadas. A decisão da desembargadora Helda Lima Meireles, da 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, foi publicada no Diário Oficial do Estado.

A ação foi proposta em janeiro, pelo Ministério Público, conforme explica o promotor de Justiça do Consumidor Júlio Machado. Segundo ele, o juiz de 1º grau deferiu liminar para determinar que o prazo fosse cumprido.

“O Ministério Público interpôs recurso e originou esta decisão da desembargadora que determinou a suspensão de venda”, diz Machado. Porém, para que passe a vigorar, a Americanas.com precisa ser intimada – o que ainda não ocorreu.

Em caso de descumprimento da primeira decisão, a empresa deve pagar multa de R$ 500 por ocorrência. No caso da decisão da desembargadora Helda Meireles, se, após receber intimação, a empresa descumprir a ordem, terá de pagar R$ 20 mil por dia.

O promotor explica que o MP baseou-se nas reclamações de consumidores recebidas pela ouvidoria do órgão, mas também em dados registrados no site Reclame Aqui. “No final de janeiro, a Americanas.com tinha 20 mil reclamações. Hoje em dia está com 30 mil reclamações”, diz.

Procurada pelo G1, a Americanas.com disse que “não comenta processos em andamento”.

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2011/05/justica-proibe-novas-vendas-da-americanascom-no-rio.html

Anúncios
Published in: on quinta-feira, 23 março 2006 at 12:51 am  Comments (1)  

The URI to TrackBack this entry is: https://jorgereis.wordpress.com/2006/03/23/americanascom-nunca-mais/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: